Stress - Depois de o identificar, combata-o!


A sociedade moderna encara, na maior parte das vezes, o stress como algo de negativo, mas, na sua definição, “o stress é um conjunto de reacções orgânicas e psicológicas de adaptação que o organismo emite quando é exposto a qualquer estímulo que o excite, irrite, amedronte ou o faça muito feliz”. (Hans Selye)

Determinados acontecimentos, como a viuvez, o divórcio, doença ou incapacidade física, casamento, desemprego, guerra, catástrofes naturais, nascimento de um filho, excesso de trabalho, entre outros, provocam um desequilíbrio entre as solicitações que são feitas ao indivíduo e os recursos de que dispõe para lhes responder.
Biologicamente, face a este desequilíbrio, a hormona cortisol é produzida e libertada, aumentando a pressão arterial, o açúcar no sangue e a tensão física e psicológica. O organismo entra em modo de sobrevivência, parando de renovar células e tecidos para concentrar toda a energia que consegue.
Contudo, na maioria das vezes temos de e conseguimos utilizar estratégias de coping (lidar com/enfrentar/superar) para restabelecer a ordem interior, eliminando o stress. Assim, o stress só constitui um risco para a segurança e a saúde quando se torna persistente.

Podemos diferenciar vários tipos de stress (usando a terminologia anglo-saxónica):
Stress agudo. Surge em situações extremas, normalmente de perigo de vida, como cenários de guerra, catástrofes naturais e acidentes, em que é desencadeada a resposta de luta ou fuga.
Stress crónico. Resulta de questões da vida diária como contas, filhos, trabalho, etc., quando ignorado e persistente.
Eustress. Originado por acontecimentos positivos como o nascimento de um filho, casamento, promoção, etc.
Distress. Com origem em acontecimentos de vida negativos como viuvez, divórcio, desemprego, dificuldades no trabalho, etc.


Deve-se ressalvar que, por vezes, níveis de stress medianos aumentam e melhoram o nosso desempenho.
Nos casos de distress, especialmente crónico, podemos destacar vários efeitos no indivíduo:
Emocionais: irritabilidade, ansiedade, perturbações do sono, depressão, hipocondria, alienação, esgotamento, problemas familiares;
Cognitivos: dificuldades de concentração, de memória, de aprendizagem e de tomada de decisão;
Comportamentais: impulsividade, abuso de substâncias, perda de apetite ou grande aumento;
Fisiológicos: dores lombares, défice imunitário, úlceras, problemas cardíacos, hipertensão, anergia, problemas de pele.


Caso se encontre em stress pode adoptar algumas estratégias simples para o regular:
- Pratique exercício físico;
- Evite o consumo de substâncias estimulantes;
- Durma bem;
- Pratique exercícios de respiração, relaxamento e meditação.

Catarina Barra Vaz


No comments: